Representantes de UCS apoiadas pelo ARPA participam de Programa de Monitoramento

Entre os dias 08 e 15 de maio, foi realizado, na Floresta Nacional (Flona) do Carajás, em Parauapebas, o VII Curso de Capacitação nos Protocolos dos Indicadores Globais do Programa de Monitoramento in situ da Biodiversidade (Módulo Básico), que contou com a participação de representantes de Unidades de Conservação Federais e Estaduais, apoiadas pelo programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA).

O Parque Estadual da Serra dos Martírios/Andorinhas (PESAM), de gestão do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), foi representado por Ernildo Serafim, Adailton Brito e Valéria Lacerda, da Gerência da Região Administrativa do Araguaia (GRA), que pretende implantar, ainda este ano, no PESAM, uma trilha de monitoramento da biodiversidade (protocolo mínimo), de aves e mamíferos, borboletas frugívoras e árvores lenhosas, como parte do Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade, Subprograma Terrestre e componente Florestal. O protocolo mínimo estabelece áreas de amostragem, em formato retangular, compostas por trilhas de 5 km, devendo ser estabelecidos três módulos de amostragem, localizadas no mesmo tipo de fitofisionomia mais representativa e preservada da Unidade de Conservação (UC).

Este tipo de monitoramento, se estrutura com a participação dos gestores locais com a sua rede de colaboradores, capazes de aplicar o monitoramento participativo, pois envolve a comunidade, através de avaliações periódicas dos quatro principais grupos indicadores citados.

A estratégia proposta visa monitorar a integridade da biodiversidade no conjunto de UCs do ARPA, provendo dados que subsidiem a avaliação da eficácia das UCs, e do programa como um todo, para a conservação da biodiversidade. Os dados e resultados deste monitoramento devem auxiliar a tomada de decisão dos gestores das UCs para ações de gestão e manejo.

Em médio e longo prazo, a série temporal para cada UC subsidiará os gestores com informações sobre a manutenção ou degradação da biodiversidade dentro dos limites daquela determinada unidade de conservação, permitindo ações de manejo mais específicas.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio


GALERIA DE FOTOS:

Envie um comentário