Técnicos e produtores rurais recebem capacitação em pós-colheita de cacau

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) realizaram, de 20 a 23 de junho, em Marituba, um curso de pós colheita de cacau, com o objetivo de aprimorar o manejo das espécies cultivadas pelas comunidades e proporcionar aos participantes uma geração de renda com conservação dos ecossistemas naturais.

A atividade compõe o conjunto de estratégias planejadas com a finalidade de responder a diversas demandas formuladas pelos Conselhos Gestores das UCs, que se encontram sob a responsabilidade da Gerência da Região Administrativa de Belém (GRB/Ideflor-bio), que desenvolve o Projeto Agrovárzea, que visa trabalhar com as comunidades de dentro e do entorno das unidades de conservação da região metropolitana de Belém.

O curso foi coordenado por Miguel Pina, George Castro e Ana Maria de Oliveira, da Ceplac; e Rozângela Silva, do Ideflor-bio, e foi voltado para produtores do Projeto AgroVárzea, técnicos do Instituto, assim como técnicos da Emater, Prefeituras, Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma) e Secretaria Municipal de Agricultura, Indústria e Comércio (Semagri), que trabalham com comunidades tradicionais localizadas no entorno das Unidades de Conservação (UC) da Região Metropolitana de Belém, com intuito de apresentar técnicas de manejo do fruto após colheita.

Na ocasião, foi apresentado aos participantes a fundamentação teórica à cultura do cacau, visto que o manejo do fruto é compatível com a realidade encontrada nas áreas em que os técnicos e os produtores rurais atuam. Conceitos do fruto, conceito de qualidade, qualidade do cacau, beneficiamento do cacau com foco na colheita e quebra do fruto, fermentação, secagem e noções de classificação de amêndoas, foram alguns dos temas debatidos.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio


GALERIA DE FOTOS:
 

 

Comentários estão desabilitados.