Tartarugas capturadas no Tabuleiro do Embaubal são devolvidas à natureza

Depois de serem resgatadas em uma ação de fiscalização de pesca predatória realizada pela Gerência da Região Administrativa do Xingu (GRX), do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente do município de Senador José Porfírio, 24 tartarugas foram soltas no Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Tabuleiro do Embaubal nesta terça-feira (02).

Durante a fiscalização também foram encontradas outras sete tartarugas e dois jacarés já mortos, além de pescado e redes usadas para a pesca predatória. No meio do ano a caça ilegal costuma se intensificar e os órgãos que atuam no combate a essa prática precisam ampliar as ações.

O Revis Tabuleiro do Embaubal é a área de maior desova de tartarugas do Pará, abrigando uma extensa quantidade de filhotes. Cerca de 29 mil ovos chegam a eclodir em um único dia. Além delas, desovam na área pitiús e tracajás. Outras espécies aquáticas de importância para a conservação que ocorrem na área são o boto vermelho, o peixe-boi amazônico e jacarés.

De acordo com Maria Bentes, gerente da GRX/Ideflor-bio, as ações são diárias. “Estamos no início da migração das tartarugas da Amazônia e posterior período de desova no interior do REVIS Tabuleiro do Embaubal e na Reserva de Desenvolvimento (RDS) de Vitória de Souzel. Todos os dias os agentes ambientais detectam atividades ilegais na área”, conta.

Ainda segundo a gerente, o REVIS é uma Unidade de Conservação de proteção integral, onde a pesca é proibida. “Atualmente apenas cinco famílias moram na área e pescam, exclusivamente para consumo próprio, e distante das áreas de desova e abrigos das tartarugas”.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio

GALERIA DE FOTOS:

VÍDEO DA SOLTURA:

Comentários estão desabilitados.