Monitoramento ambiental é realizado nas praias da APA Araguaia

A Gerência da Região Administrativa do Araguaia (GRA) do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), realizou, durante o mês de julho, um trabalho de monitoramento ambiental em Praias, como a Remanso dos Botos e as praias ao longo do Rio Araguaia até a praia da Vila de Santa Cruz, que se encontram na Área de Proteção Ambiental (APA) Araguaia.

O monitoramento ambiental é um procedimento de coleta de dados, estudo e acompanhamento contínuo e sistemático das variáveis ambientais, com o objetivo de identificar e avaliar as condições dos recursos naturais em um determinado momento, assim como as tendências ao longo do tempo. O monitoramento fornece informações sobre os fatores que influenciam o estado de conservação, preservação, degradação e recuperação ambiental da região estudada.

A metodologia utilizada para obtenção de informações, foi a abordagem aos visitantes das praias, com aplicação de questionários específicos, a fim de identificar o comportamento dos veranistas em relação aos conhecimentos e ações em relação ao meio ambiente.

Além da obtenção de dados, as abordagens também objetivaram orientar os visitantes quanto ao uso sustentável das praias, inibindo assim as práticas inaceitáveis de deposição de lixo nos rios, nas praias, além de levar informações sobre a APA, as Áreas de Proteção Permanente (APP) e o Parque Estadual Serra dos Martírios/Andorinhas (PESAM).

Visitantes – Analisando os dados do GRA/Ideflor-bio, em 2016, cerca de 444 pessoas passaram pelas praias da APA. Já em 2017, no mesmo período de monitoramento, o público que passou pelas praias aumentou consideravelmente, totalizando 797 pessoas.

São diversos os municípios e estados de origem dos frequentadores das praias da APA Araguaia no mês de julho, oriundos do estado do Pará, de outros estados, como o Tocantins, Goiás e também identificado um grupo de acampados do Estado da Flórida (EUA).

Devido São Geraldo do Araguaia ser uma cidade de fronteira, precisamente com o Estado do Tocantins, grande número de visitantes são tocantinenses, a exemplo de Araguaiana, onde registrou-se 257 visitantes neste período. Quanto aos municípios paraenses que tiveram presença expressiva, destacam-se, São Geraldo do Araguaia e Parauapebas, com 18% e 12% dos visitantes, respectivamente.

Resíduos – Notou-se que grande quantidade de resíduos produzidos nas praias são latas e plásticos, onde papéis e orgânicos não mostram expressiva produção, segundo os questionários aplicados aos visitantes. Isso se dá pelo fato de serem levados às praias alimentos e bebidas, os quais utilizam de recipientes descartáveis.

Quanto ao destino dos resíduos produzidos, este era coletado em tonéis de plástico pelo responsável pelo acampamento e levado para o lixão da cidade, uma vez que no município não possui aterro sanitário. Porém, alguns veranistas ainda têm como prática, deixar resíduos na areia da praia, já havendo uma tendência de mudança nesse tipo de comportamento. Mas de forma geral, o ambiente encontrado estava bem cuidado e manteve-se preservado.

De acordo com o monitoramento, não se registrou veranistas com atitudes de enterrar o lixo na areia, queimar e jogar no rio. Atitudes elogiáveis que demonstram conscientização das pessoas quanto à valorização e preservação do meio ambiente.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio


GALERIA DE FOTOS:

Comentários estão desabilitados.