Técnicos do Ideflor-bio discutem, em Manaus, o monitoramento da pesca na Amazônia

Representantes da Gerência da Região Administrativa Mosaico Lago de Tucurí (GRTUC), vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), participam, nesta quinta e sexta-feira, da Oficina de Monitoramento da Biodiversidade Aquática Amazônica: Protocolo de Automonitoramento da Pesca. O curso apresenta metodologias para o automonitoramento da pesca em Unidades de Conservação (UCs) estaduais e federais, além de propor a criação de um plano integrado para a aplicação dessas metodologias em UCs do país.

Durante a oficina, os representantes de Unidades de Conservação da Amazônia discutirão as estratégias que utilizam para o monitoramento das áreas protegidas. A GRTUC apresentou, na tarde desta quinta-feira, o Sistema de Monitoramento das Unidades de Conservação Lago de Tucuruí (SisMULT), ferramenta desenvolvida pela equipe técnica da Gerência para monitorar os recursos pesqueiros do Lago, localizado no sudeste paraense.

Para a engenheira de pesca Jossandra Pinheiro, representante do Ideflor-bio na oficina, a participação da GRTUC é uma forma de criar redes de trabalho nacionais e tambem de mostrar as ações bem sucediadas que são realizadas na região do Mosaico Lago de Tucuruí.

“Os especialistas elogiaram a iniciativa do Ideflor-bio e da GRTUC na implantação do SisMult e cogitaram que essa ferramenta tem grandes chances de se tornar um protocolo para o monitoramento dos desembarques pesqueiros. A Gerência espera integrar a metodologia nacional de monitoramento da pesca, fazendo com que as Unidades de Conservação do Pará trabalhem de forma harmônica com os programas nacionais que tratam da temática, assim como compartilhar a ferramenta informatizada utilizada nas UCs do Lago de Tucuruí”, afirma.

A oficina acontece no Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica (CEPAM), em Manaus, e é oferecida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O ICMBio coordena o Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade (MONITORA), o qual propõe estratégias e metodologias para o acompanhamento da biodiversidade nacional, a fim de garantir a efetividade na preservação e manejo de UCs.

Ainda segundo Jossandra Pinheiro, a oficina “é um momento de integração técnica com profissionais renomados e que proporcionará o aprimoramento das técnicas de monitoramento já empregadas no Mosaico Lago de Tucuruí, além do aperfeiçoamento da ferramenta SisMULT”.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.