GRB reúne Conselhos Gestores das Unidades de Conservação da Região Metropolitana de Belém

A Gerência da Região Administrativa de Belém (GRB), vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), reuniu, nesta quinta-feira, 10, o Conselho Gestor do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Metrópole da Amazônia. A GRA realizou também, nos dias três e oito de maio, respectivamente, os encontros dos conselhos gestores da Área de Proteção Ambiental (APA) Metropolitana de Belém e do Parque Estadual do Utinga.

Os encontros contaram com a participação de conselheiros provenientes de instituições públicas e da sociedade civil organizada, especialmente de habitantes e trabalhadores que vivem ou atuam no interior ou entornos das UCs.

As reuniões dos Conselhos Gestores acontecem diversas vezes durante o ano e tem caráter consultivo e deliberativo. O objetivo é auxiliar a gestão das Unidades de Conservação na tomada de decisões, no acompanhamento e na implementação de projetos que visem conservar e desenvolver as áreas.

Durante a reunião desta quinta-feira, foi apresentado aos conselheiros o plano de manejo do Revis. A reunião contou, também, com a formação de uma comissão especial para o acompanhamento dos processos de licenciamento do Aterro Sanitário do Aurá, que fica localizado em Marituba, município que engloba o Refúgio. O objetivo da Comissão, formada por representantes de entidades como o Instituto Evandro Chagas e moradores vizinhos ao aterro, é realizar discussões aprofundadas sobre o processo de licenciamento do Aurá.

No dia oito de maio, a reunião do Conselho Gestor do Parque do Utinga propôs a criação de dois grupos de trabalho: um para o acompanhamento dos processos de licenciamento no Parque – como o prolongamento da Av. João Paulo II, a criação do Centro Internacional de Gastronomia, e a Unidade de Tratamento de Água da Cosanpa -; e outro para o monitoramento da biodiversidade do Utinga.

De acordo com Julio Meyer, Gerente da Região Administrativa de Belém, “as comissões e grupos de trabalho trazem subsídios técnicos para que os conselhos tomem posicionamentos e decisões com relação às diversas demandas e ações que necessitam atenção especial”, afirma.

Já na reunião do Conselho da APA Belém, em três de maio, a pauta contou com a posse dos novos conselheiro da Áre e também com o início das discussões para a elaboração do regimento interno do Conselho, documento guia os processos de trabalho da equipe.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.