Intercâmbio comunitário sensibiliza sobre importância dos Sistemas Agroflorestais em Monte Alegre

Agricultores das comunidades de São Diogo, Cuçaru, Seis Unidos e Mangueirinha, localizadas na Área de Proteção Ambiental (APA) Paytuna, em Monte Alegre, no Baixo Amazonas, participaram, em 30 de maio de uma atividade de intercâmbio entre produtores rurais. A ação foi realizada pela Gerência da Região Administrativa da Calha-Norte I, vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), e teve como objetivo apresentar os Sistemas Agroflorestais (SAFs) aos comunitários.

O intercâmbio aconteceu na comunidade Terra Preta II, também em Monte Alegre. Os agricultores das outras quatro comunidades puderam ver de perto o funcionamento dos SAFs, que são espécies de miniflorestas plantadas nas propriedades dos agricultores e que tem a função de recuperar áreas degradadas, além de possibilitar a diversificação da produção agrícola.

“O objetivo desse intercâmbio foi sensibilizar os comunitários da APA Paytuna sobre a importância da implantação de Sistemas Agroflorestais em Monte Alegre. Os SAFs auxiliam a promover o desenvolvimento e a manutenção das riquezas florestais, o desenvolvimento social das populações locais e a redução do desmatamento por meio do reflorestamento das áreas alteradas; além de ser uma fonte de renda extra e sustentável”, afirma Patrícia Messias, gerente da Calha Norte I.

A ação contou com o apoio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater). O técnico da Emater, Egnaldo Garcia, demonstrou aos agricultores da APA Paytuna a importância e o funcionamento do SAF na área do agricultor Raimundo Silva, na comunidade Terra Preta II.

“Logo quando criamos a área do SAF eu acreditava que ele não iria dar em nada, mas hoje percebo que eu estava enganado. Eu acredito que os outros agricultores devem dar continuidade na implantação desses SAFs, porque é um ótimo projeto”, comenta Raimundo Silva.

Participaram da ação aproximadamente 30 pessoas das comunidades São Diogo, Cuçaru, Seis Unidos e Mangueirinha. A área será uma das atendidas pelo Projeto de Restauração Florestal por meio de Sistemas Agroflorestais (Prosaf), mantido pela Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF) do Ideflor-bio. O projeto atua na recuperação de áreas florestais, no Pará, que foram degradadas por ações diversas, como o desmatamento.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.