Gerência Regional do Marajó apresenta atividades realizadas no Charapucu a Conselho Gestor

O Conselho Gestor do Parque Estadual Charapucu realizou, em 14 junho, sua primeira reunião do ano de 2018. A reunião aconteceu na Câmara de Vereadores do município de Afuá, no arquipélago do Marajó. Entre os encaminhamentos estiveram a apresentação da nova equipe da Gerência da Região Administrativa do Marajó (GRM), instância gestora do Parque vinculada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), e também a apresentação das atividades realizadas pela GRM no Parque.

Participaram da reunião, representantes do poder público municipal e estadual, como dos escritórios regionais da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) e da Adepará; além de representantes da sociedade civil organizada no Marajó e de comunitários de residem dentro ou nos entornos do Charapucu.

Dentre as atividades desenvolvidas pela GRM estão o trabalho no ordenamento territorial que envolve a proposta de redimensionamento do Charapucu; e a promoção do uso sustentável dos recursos naturais, principalmente por meio da informação e da disseminação de técnicas de manejo adequado da floresta.

“O redimensionamento propõe a diminuição da área atual do Parque para desfazer a sobreposição às comunidades e populações tradicionais presentes no território, ao mesmo tempo em que mantém uma zona núcleo no centro da ilha grande do Charapucu que servirá como berçário de espécies ameaçadas de extinção. Já do ponto de vista do uso sustentável, promovemos práticas como o manejo adequado dos açaizais nativos e a coleta e beneficiamento de sementes de espécies oleaginosas”, explica Amanda Quaresma.

A equipe realizou, ainda, ações de educação ambiental em escola da região, resgate de animais e levantamentos de dados socioeconômicos da população local. Também pela primeira vez desde a criação do PEC foi implantada uma base fixa da GRM na sede municipal de Afuá, com equipe técnica responsável por acompanhar a rotina de trabalhos do Parque e também por atender comunitários e pessoas interessadas em informações. A base fica no Escritório da Emater em Afuá e funciona diariamente, de 8h às 17h.

Ainda durante a reunião, a equipe da GRM esclareceu informações importantes sobre o processo de reordenamento do Parque. “Deixamos claro que não haverá desapropriação de famílias que hoje se encontram residindo no interior da Unidade de Conservação. Ao contrário, o Parque será redimensionado justamente para não se sobrepor a essas famílias, comunidades, escolas, igrejas. Também afirmamos que o igarapé conhecido como Furo do Igapuia, forma de encurtar a distância entre as comunidades do sul do Parque e a sede de Afuá, não será fechado em hipótese nenhuma, já que o direito de ir e vir está assegurado pela Constituição Federal”, acrescenta a gerente.

Charapucu – O Parque Estadual Charapucu é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral localizada no município de Afuá, no oeste do Arquipélago do Marajó, às proximidades do estado do Amapá. Com uma área de aproximadamente 65 mil hectares, o Parque foi criado em 2010, com o objetivo de preservar a biodiversidade local, inclusive algumas espécies animais ameaçadas de extinção, como a onça-pintada. Mas o Charapucu também é lar de diversas famílias e comunidades que, historicamente, vivem da utilização dos recursos naturais do espaço.

Segundo Amanda Quaresma, “o Parque Charapucu é uma área muito especial do ponto de vista ambiental, pois aqui existem animais e plantas ameaçados de extinção e que estão sendo protegidos, assim como muitas famílias que sempre dependeram da floresta pra sobreviver, por isso é tão importante que a gestão da unidade sempre inclua as pessoas no conceito de área protegida. O diálogo com todos os atores envolvidos é fundamental pra que as linhas de ação da gestão possam estar em acordo com a realidade da região. Nosso trabalho é promover o desenvolvimento sustentável.”

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.