Informações Florestais


 

Shape – Floresta Paru

Baixar o mapa no formato Shape  da Floresta Paru

Estudo Prospectivo do Potencial Florestal da Floresta Estadual do Paru

O estudo visa contribuir neste sentido, ao analisar o potencial florestal da Floresta Estadual do Paru, a maior das florestas estaduais localizadas na Calha Norte paraense.

Plano de manejo da Flota Paru

Esse é o primeiro plano elaborado a partir de uma nova metodologia com enfoque ecossistêmico, dinâmico e com ênfase no planejamento participativo (SEMA, 2009). O plano incorporou propostas de pesquisadores, instituições governamentais e não governamentais, sociedade civil e principalmente a comunidade diretamente envolvida.. As oficinas participativas permitiram que os diversos atores sociais compreendessem a grandeza e a importância da Flota do Paru e se tornassem coautores deste plano de manejo e responsáveis por sua implantação.

Cartilha do Plano de Manejo da Flota Paru

O Plano de Manejo foi apresentado e validado pelo Conselho Consultivo da Flota e aprovado pela Sema em 2010. As atividades descritas deverão ser implantadas entre 2011 e 2015. O objetivo final do Plano de Manejo é garantir o uso sustentável dos recursos naturais e a boa qualidade de vida para as famílias que vivem e dependem da Flota do Paru.

Resumo Executivo do Plano de Manejo da Flota Paru

A Flota do Paru possui um potencial expressivo para uso florestal, uma vez que na região predominam florestas densas, com elevada volumetria de espécies madeireiras e abundância de espécies não madeireiras de valor comercial (Imazon, 2006). Entre os serviços ambientais oferecidos pela Flota estão a proteção das bacias hidrográficas da Calha Norte do rio Amazonas, no Estado do Pará, e a conservação da biodiversidade.

Relatorio de sobrevoo sobre a Flota do Paru vsite

A atividade de sobrevoo é um recurso muito oportuno para o reconhecimento e acompanhamento de áreas onde se pretende realizar alguma ação. Neste sentido, a participação do Ideflor na atividade de sobrevôo na Flota do Paru, floresta pública estadual em processo de concessão florestal, atendeu a necessidade de o estado acompanhar e monitorar suas florestas, identificando as existências de possíveis alterações, principalmente na área objeto de licitação.

Estudo socio economico do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns

O estudo socioeconômico e ambiental descrito neste Relatório Final tem o propósito de: Realização de Pesquisa Socioambiental da região do Mamuru-Arapiuns, com o objetivo de subsidiar o Relatório Ambiental Preliminar (RAP) e os procedimentos relacionados às concessões florestais naquela região.

Estudo de fauna do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns 1ª parte

Este diagnóstico tem como objetivos o provimento de dados e estudos analíticos sobre a fauna de uma área de 150 mil hectares, situada na região do conjunto de glebas Mamurú-Arapiuns, no oeste do Pará, elementos2 que servirão de (1) subsídio para a elaboração do relatório ambiental preliminar– RAP, bem como para (2) proposição de um sistema de monitoramento de fauna.

Estudo de fauna do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns 2ª parte

Estudo de fauna do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns 2ª parte

Estudo de fauna do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns 3ª parte

Estudo de fauna do conjunto de glebas Mamuru-Arapiuns 3ª parte

Estudo Prospectivo do Potencial Florestal da Floresta Estadual do Paru

Estudo Prospectivo do Potencial Florestal da Floresta Estadual do Paru

Inventário Florestal Diagnóstico do Conjunto de Glebas Mamuru Arapiuns

O presente documento refere-se ao Relatório Preliminar das análises estáticas quantitativas e qualitativas realizadas através do Inventário Florestal Diagnóstico do Conjunto de Glebas Estaduais Mamuru-Arapiuns no Estado do Pará, firmado entre o Serviço Florestal Brasileiro e a empresa SEAT Terraplanagem pelo Contrato Administrativo nº 09/2009, assinado em 15 de Abril de 2009, Processo nº 02000.003093/2008-15.

Relatório Ambiental Preliminar – RAP

O RAP -, Relatório Ambiental Preliminar das áreas de concessão florestal do conjunto de glebas Mamuru Arapiuns ora apresentado constitui-se na 3ª e última peça prevista nos Termos de Referência preparados pela Diretoria de Gestão de Florestas Públicas (DGFLOP), do Instituto de Desenvolvimento |Florestal do Estado do Pará – IDEFLOR, instituição responsável pelas diretrizes florestais no âmbito do Governo do Estado do Pará, após a entrega do Plano de Trabalho, do Relatório Preliminar do RAP e do Relatório Provisório do RAP.

Relatório Socioeconômico – Nova Olinda I

O objetivo central do relatório socioeconômico é apresentar os resultados obtidos nas atividades realizadas em conjunto com os moradores das comunidades da Gleba Nova Olinda I, com vistas a subsidiar a proposição de diretrizes norteadoras de ações para o fortalecimento econômico de base agroflorestal e extrativista local, formatadas em projetos de desenvolvimento comunitário.

Estudo das Cadeias de Comercialização de Produtos Não Madeireiros no Pará

Em atendimento às demandas da política estadual do desenvolvimento do extrativismo, capitaneada pelo Ideflor, o Idesp apresenta este relatório contendo os primeiros resultados do Estudo das Cadeias de Comercialização de Produtos Florestais Não-Madeireiros no Estado do Pará, para as regiões de integração do Tocantins e do Baixo Amazonas.

Plano Safra 2010

Este documento apresenta as principais diretrizes e ações da política florestal do Estado do Pará para fortalecer a atividade florestal madeireira, através de programas e mecanismos que auxiliem na superação dos novos desafios, garantindo uma maior produtividade e crescimento econômico, aliado ao capital social e sustentabilidade dos recursos naturais.

Preço da Madeira – estudo de 2010 – 2011

Determinar o preço da madeira em pé, a margem de valor econômico da atividade florestal, assim como avaliar  o comportamento histórico  das forças do mercado e as implicações socioeconômicas  e  ambientais dos contratos de transição gerenciados pelo Ideflor no Estado do Pará

Estudo de Oferta e Demanda de Produtos Florestais

O objetivo do estudo foi analisar o mercado (oferta e demanda) de produtos florestais da região Mamuru-Arapiuns, localizada entre os municípios de Itaituba, Aveiro, Santarém e Juruti, Estado do Pará. Vale ressaltar que a pesquisa foi um pouco além e contemplou outros produtos não-madeire