Projeto Tijolo Verde

O Governo do Estado, buscando promover o desenvolvimento sustentável dos diferentes segmentos sociais, pretende através da junção de esforços, das instituições governamentais (Ideflor, Emater-Pará, Sagri, Pará Rural e Prefeituras Municipais) e não governamentais (associações e sindicatos) desenvolver ações de recuperação de áreas alteradas, através da implantação de Sistemas Agroflorestais com formação de banco energético, garantindo desta forma a possibilidade de geração e incremento de renda para a agricultura familiar, através do fornecimento de matéria prima (lenha) para o setor oleiro-cerâmico bem como proporcionando oportunidades de recomposição florestal para municípios que apresentam uma taxa significativa de desmatamento. Nesse sentido, o Projeto Tijolo Verde, visa subsidiar a construção de estratégias de desenvolvimento, em curto prazo, envolvendo a diversificação do sistema produtivo, de maneira a interferir positivamente nos aspectos socioeconômicos e ambientais das famílias beneficiadas no Projeto.
Objetivo:
Objetivo: Promover o reflorestamento de áreas alteradas, garantindo a recuperação do passivo ambiental, segurança alimentar e agregação de renda para o agricultor familiar, através do fornecimento de matéria-prima para o setor oleiro-cerâmico da região, por meio de: Levantamento produtivo e ambiental das Comunidades Capacitações e treinamentos Implantação dos Sistemas Agroflorestais – SAF’s Monitoramento e Acompanhamento Técnico Área de abrangência Municípios de São Miguel do Guamá e Irituia Metas da ação 400 famílias atendidas; 400 produtores capacitados em produção de mudas e Sistemas Agroflorestais – SAF’s; 400 hectares de áreas alteradas recuperadas; 02 Pólos de Produção de Mudas certificadas; 400 ha de SAF’s, priorizando a formação de bancos energéticos.
Característica do desempenho esperado:
Estrutura de produção de alimentos da unidade familiar consolidada; Área de reserva legal – RL e Área de preservação permanente em processo de recomposição, a partir de Saf´s comerciais; Incremento e geração de renda para os agricultores envolvidos; Viveiros florestais devidamente certificados no MAPA.
Público Beneficiado:
Produtores da agricultura familiar, comprometidos com a recuperação de áreas alteradas de sua unidade produtiva.