Biodiversidade: Conheça a Tartaruga da Amazônia!

A Tartaruga da Amazônia (Podocnemis expansa) é uma das espécies mais amplamente distribuídas. Chamada entre os ribeirinhos de “tartaruga”, ela habita os rios, lagos, e igapós de grande parte da floresta amazônica. Uma fêmea adulta pode ter 90 cm de comprimento de carapaça e pesar até 60 kg.

Tartaruga da amazôniaO maior quelônio de água doce do mundo, na Venezuela é chamado de arrau, na Colômbia, Peru e Equador é chamado de “charapa”. Já na Bolívia ela é chamada de “tortuga”, equivalente a “tartaruga” no Brasil.
A Tartaruga é um animal onívoro. Alimenta-se principalmente de matérias vegetais, como frutos e sementes, mas não dispensa pequenas quantidades de animais invertebrados, aquáticos e eventualmente um terrestre.
Durante o período reprodutivo, que vai de setembro a novembro, a Tartaruga da Amazônia forma colônias de milhares de fêmeas adultas, que desovam em praias de forma coletiva.
A cada desova, as fêmeas põem em torno de 100 ovos. Em alguns locais, centenas de tartarugas cavam na areia clara das praias dos rios da bacia amazônica. Quem tem a oportunidade de presenciar uma a cena guarda uma recordação pra vida toda. A eclosão ocorre depois de dois meses de incubação e os filhotes nascem, abandonando aos bandos o ninho em direção ao rio.
Desde tempos imemoriais, os índios da região amazônica dependiam das tartarugas e seus ovos para a alimentação. No século XIX os ovos desses animais foram vastamente utilizados na alimentação e na iluminação das cidades. Centenas de milhares de ovos foram utilizados por toda a região.
ovos de tartaruga da amazonia2Hoje, a tartaruga da amazônia é uma das espécies que mais sofrem com os efeitos do uso não sustentável. Apesar de referências na literatura a indicarem como um dos recursos mais importantes na história do povoamento da Amazônia, hoje ela tem desaparecido de muitos rios por causa da pressão de caça, da coleta de seus ovos e pela degradação do seu habitat.
Alguns municípios contam com projetos medidas de proteção da espécie durante o período de desova, entretanto o desafio ainda é imenso na proteção da espécie.
A história indica claramente um declínio da população da espécie. Os principais fatores foram, em primeiro lugar a coleta de ovos e, secundariamente, a caça e a pesca extrativista. Outros fatores nunca foram avaliados, como o impacto da coleta de filhotes para os criadouros registrados, instalação de barragens, hidrelétricas e o efeito da destruição dos habitats (as florestas alagáveis: várzeas e igapó) também não tem sido considerado.
As espécies do gênero Podocnemis já foram listadas como espécies ameaçadas de extinção. Hoje já foram retiradas da lista, mas esse quadro pode reverter se não forem adotadas medidas eficazes de controlar a prática de comércio ilegal dos quelônios e principalmente a proteção do seu habitat. Proteger a Tartaruga da Amazônia é proteger os rios da Amazônia, é proteger a vida.

 

Comentários estão desabilitados.