APA Algodoal Maiandeua tem Conselho Gestor renovado

No último dia 13, na Vila de Algodoal, foi realizada a 2ª Reunião Ordinária do Conselho Gestor da Área de Proteção Ambiental de Algodoal-Maiandeua, município de Maracanã . Reuniram-se representantes do Poder Público e da Sociedade Civil para finalizar o processo de Renovação do Conselho, após votação o mesmo ficou composto por 21 instituições, sendo 10 do Poder Público e 11 da Sociedade Civil. Na Reunião também foram discutidos assuntos inerentes à gestão da referida Unidade de Conservação.

Segundo a Gerente da Unidade, Tanice Aguiar, o Conselho da APA conseguiu aumentar o número de cadeiras, saltando de 18 cadeiras para 21, contribuindo assim para uma maior participação da Sociedade Civil na gestão da APA. “Esse acréscimo se deve também ao importante trabalho de sensibilização e comprometimento desenvolvido pela equipe técnica da gerência nas comunidades locais pertencentes a APA”, ressaltou Tanice.

Antes do processo de votação das entidades, representantes defenderam a participação de sua instituição no colegiado. Benedita Barros, representante do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), defendeu a sua instituição ressaltando a importância das pesquisas que o Museu desenvolve na APA durante muitos anos e do Interesse de participar do Conselho da UC.

Rodolfo Bastos defendeu a Universidade Federal do Pará (UFPA) falando sobre a importância dos projetos desenvolvidos pela Universidade na Zona Costeira paraense, ressaltando o interesse da Instituição em desenvolver pesquisas na localidade.

Após a votação para a entrada dos novos conselheiros, o Conselho Gestor da APA de Algodoal-Maiandeua ficou com a seguinte composição: pelo Poder Público ficaram como representantes, o Instituto de Desenvolvimento Florestal e Biodiversidade do Estado do Pará – Ideflor-bio, Secretaria do patrimônio da União – SPU, Instituto de Conservação da Biodiversidade – ICMBIO, Secretaria de Estado de Turismo – SETUR, Divisão Especializada de meio Ambiente – DEMA, Batalhão de polícia Ambiental – BPA, Secretaria de Desenvolvimento de Pesca e Agricultura – SEDAP, Universidade Federal do Pará – UFPA, Museu Paraense Emilio Goeldi – MPEG e Prefeitura Municipal de Maracanã.

Pela Sociedade Civil ficaram com representantes a Associação de Comunitária de Desenvolvimento e Preservação da Ilha de Maiandeua – ACDESPIM, Cooperativa dos Lancheiros da Ilha de Maiandeua – CLIMAM, Associação Comunitária da Ilha de maiandeua – ACMM, Grupo Ambiental de Fortalezinha – GAF, Associação Comunitária dos Pescadores Artesanais da Vila de Algodoal – ACPAVA, Associação dos Moradores da Camboinha – AMC, Associação dos Canoeiros de Algodoal – ACA, Associação das Pousadas e Hotéis de Algodoal – APHA, Associação dos Empreendedores de Turismo de Algodoal-AETA, Igreja Evangélica Assembleia Deus.

 

Comentários estão desabilitados.