Ideflor-bio realiza mobilização para início do processo de criação do Conselho da APA Marajó

A Gerência da Região Administrativa Marajó, ligada ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), está no Arquipélago do Marajó desde o último domingo (15) para iniciar os trabalhos de mobilização e sensibilização nos doze municípios pertencentes à Área de Proteção Ambiental (APA) Arquipélago do Marajó para o início do processo de criação do Conselho Gestor da Unidade de Conservação. Durante esse primeiro momento, a equipe está realizando reuniões nos municípios de Salvaterra, Soure, Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari. Na semana que vem, a equipe se deslocará para o município de Ponta de Pedras.

“Esse primeiro momento é de apresentação da equipe do Ideflor-bio e de contato inicial com as associações e entidades governamentais de cada município para o início dos trabalhos pra a criação do Conselho Gestor da APA Marajó”, explica Maria Bentes, gerente da Região Administrativa. A equipe está no Marajó realizando contatos e sensibilização com entidades governamentais e da sociedade civil organizada para a futura formação do Conselho Gestor da Unidade de Conservação.

Na manhã de hoje (17), a equipe realizou uma reunião no município de Soure, na sede da Prefeitura Municipal da cidade. Participaram do encontro cerca de 20 representantes de instituições governamentais e não governamentais. Amanhã (18) a equipe se deslocará aos municípios de Cachoeira do Arari e Santa Cruz do Arari, onde também realizará reuniões preliminares de apresentação. Na sexta-feira (20) a reunião acontecerá no município de Salvaterra, às 9h, na Escola Municipal Oscarina Santos.

APA Marajó

A Área de Proteção Ambiental do Marajó é uma Unidade de Uso Sustentável, criada a partir do Art. 13, § 2º, da Constituição do Estado do Pará de 1989. É considerada a maior Unidade de Conservação na costa norte do Brasil, com 5.904.322 ha. Pertence ao Arquipélago do Marajó, situado no litoral amazônico, constituído por ilhas que formam o Estuário da Baía do Marajó. É banhado pelas águas salgadas do Oceano Atlântico ao norte e pelas águas fluviais da foz do Rio Pará e Tocantins ao sul, formando um complexo fluviomarinho.

A APA Marajó abrange os municípios de Afuá, Anajás, Breves, Cachoeira do Arari, Chaves, Curralinho, Muaná, Ponta de Pedras, Salvaterra, Santa Cruz do Arari, São Sebastião e Boa Vista.

No interior do arquipélago estão inseridas outras Unidades de Conservação de uso sustentável: a Reserva Extrativista Mapuá, no município de Breves; a Reserva Extrativista Marinha de Soure, no município de Soure; a Reserva Extrativista Terra Grande-Pacuúba, nos municípios de Curralinho e São Sebastião da Boa Vista. Além de uma unidade de proteção integral, o Parque Estadual Charapucu, em Afuá.

Conselho Gestor

Toda UC deve ter um conselho gestor, que tem como função auxiliar o chefe da UC na sua gestão, e integrá-la à população e às ações realizadas em seu entorno. O conselho gestor deve ter a representação de órgãos públicos, tanto da área ambiental como de áreas afins (pesquisa científica, educação, defesa nacional, cultura, turismo, paisagem, arquitetura, arqueologia e povos indígenas e assentamentos agrícolas), e da sociedade civil, como a população residente e do entorno, população tradicional, povos indígenas, proprietários de imóveis no interior da UC, trabalhadores e setor privado atuantes na região, comunidade científica e organizações não-governamentais com atuação comprovada na região.

Comentários estão desabilitados.