Projeto Pará Florestal dá inicio à produção de mudas e mecanização agrícola na Comunidade Primavera I

Mutirão_semeio22 mil sementes de Paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum), espécie florestal nativa, foram semeadas durante o primeiro mutirão de produção de mudas na comunidade de Primavera I, município de Rondon do Pará, que aconteceu no período de 16 a 19 de dezembro. A ação foi realizada através do Projeto Pará Florestal, desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), através de convênio firmado com o Sindicato dos Produtores Rurais de Rondon do Pará (SIRPA) e apoio da Prefeitura Municipal, Emater e das Empresas Florestais que beneficiam o Paricá no município.

As mudas semeadas durante a ação devem estar aptas ao plantio definitivo até meados de fevereiro de 2016. Essas mudas são produzidas em tubetes, tendo a comunidade sido beneficiada com um viveiro de mudas, no padrão do Ideflor-Bio (estrutura metálica), nas dimensões 18 x 24 metros. O projeto tem como objetivo promover a recuperação de áreas alteradas/ degradadas através do cultivo da espécie, associada a culturas anuais como mandioca e milho, além de espécies frutíferas. É o que se chama de Sistema Agroflorestal (SAF).

Segundo Cleberson Salomão, gerente da regional Marabá, o Paricá foi escolhido por ser uma espécie demandada pela Indústria de Laminados/ Compensados que atua fortemente no município e região. “O Paricá é uma espécie nativa, de crescimento rápido e que se desenvolve muito bem nos solos da região”, explica Salomão. 15 famílias de agricultores familiares serão atingidas diretamente pelo projeto e terão apoio para cultivar até 02 (dois) hectares de plantio. As áreas serão mecanizadas e corrigidas (acidez) com calcário disponibilizado pelo Governo do Estado, através do Ideflor-bio.

Através do convênio, as áreas disponibilizadas pelas famílias para a implantação dos SAF’s também começam a ser mecanizadas, sendo o primeiro momento reservado à prática de destoca e enleiramento. Posteriormente, e com apoio da Prefeitura Municipal, que disponibilizará trator de pneus e implementos, virão as práticas de aração, gradagem e distribuição de calcário. “As famílias têm se mostrado bastante confiantes no sucesso do projeto, e têm participado ativamente das atividades planejadas pelo Ideflor-Bio e SIRPA”, comemora Salomão.

Segundo o presidente da Associação dos Produtores da Comunidade Primavera I, Noeme Antônio Rodrigues, também beneficiário do projeto, este tem grande significado para a comunidade, especialmente por permitir às famílias mais uma alternativa de renda e de redução do passivo ambiental. “As entrelinhas de cultivo do Paricá serão muito bem aproveitadas com as culturas agrícolas de domínio da comunidade, que são a mandioca (principalmente) e também o milho”, conclui Noeme.

Comentários estão desabilitados.