Ideflor-bio realiza curso de nivelamento para condutores do BPA

Cerca  de  25  membros  do  Batalhão  da  Polícia  Ambiental  (BPA)  participaram  nesta  segunda  (21)  do  Curso  de  Condutores  de  Visitantes  em  Trilhas, promovido pelo Instituto  de  Desenvolvimento  Florestal  e  da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio). A capacitação, que segue até o dia 23/03 é uma parceria com o BPA e será realizada no auditório do próprio batalhão.

O curso objetiva promover um nivelamento de informações  entre  condutores  ambientais  do  BPA  que já trabalham em áreas com potencial turístico dentro do Estado, como o Parque Estadual do Utinga, e  será  ministrado  por  Júlio  Meyer, Gerente  das  Unidades  de  Conservação  da região Metropolitana de Belém e Yasmin Alves, Turismóloga, ambos do Ideflor-bio.

Durante os  3  dias  serão  abordados  conhecimentos  técnicos  sobre  unidades  de  conservação, conceitos  de  turismo, condições para receber os visitantes, educação ambiental, interpretação ambiental, sustentabilidade, impactos ambientais, conduta consciente em ambientes naturais, entre outros.

Segundo Júlio Meyer, a parceria com o BPA é constante e sempre gera novos frutos. “Recentemente fizemos um curso de formação de condutores de trilhas do Parque Estadual do Utinga. Hoje  já  estamos  fazendo  o  nivelamento  da  equipe  do BPA, que já possui grande conhecimento sobre nossas áreas ambientais e trilhas. Nosso  objetivo  é  mantê-los  sempre  atualizados, para  que  continuem fazendo o trabalho exemplar de sempre, pois são essenciais para orientar os visitantes a fazerem o uso correto dessas áreas.”, disse o gerente.

De  acordo  com  a  Turismóloga  Yasmin  Alves, é  importante  que  haja  uma  sensibilidade  do visitante em conservar o meio ambiente. “Esse trabalho visa o melhoramento  das  Unidades  de  conservação, incentiva  o turismo, o  ecoturismo. Queremos  agregar  mais  valor  ao  trabalho que o BPA faz. Onde há bons condutores também há visitantes mais conscientizados em relação ao meio ambiente.”, explicou.

O condutor  pode  ser  considerado  como  o  especialista  da  interpretação  turística, aquele  que  conhece profundamente a área que atua, além de utilizar-se de conhecimentos científicos, etnobiológicos e de aspectos culturais locais em suas interpretações, com a promoção de um diálogo de saberes, sendo assim um promotor da  sensibilização  ecológica  e  cultural  do  visitante, utilizando-se  da  educação  ambiental. Como  profissional do  eixo turístico, o profissional deve preocupar-se com a conservação dos ecossistemas locais, com o bem-estar das populações envolvidas, não se esquecendo do bem-estar e da satisfação dos visitantes.


Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.