Ideflor-bio reforça cronograma de ações direcionadas aos povos indígenas

Em alusão ao Dia do Índio, comemorado nesta terça-feira, 19 de abril, a Diretoria de Gestão da Biodiversidade e a Gerência de Sociobiodiversidade do Instituto  de  Desenvolvimento  Florestal  e  d a Biodiversidade  do  Estado Pará (Ideflor-bio) vem reforçando as ações do cronograma de atividades para o ano de 2016 direcionadas às etnias indígenas paraenses.

O Instituto  tem  a  competência  legal  de  apoiar  a  implementação  da  Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental das Terras Indígenas, por meio de parceria estratégica com a Fundação Nacional do Índio e demais organismos e entidades competentes, além de ações de proteção, recuperação, conservação e o uso sustentável dos recursos naturais dos territórios indígenas e unidades de conservação estaduais ocupadas por povos indígenas.

Um dos projetos, executado  em  parceria  com  a  Empresa  de  Assistência  Técnica e Extensão Rural (Emater) junto aos povos indígenas da Calha Norte, é o de “Inovação e Difusão de Boas Práticas de Manejo Agroflorestal”, que ministrará um curso que formará 25 agentes agroflorestais indígenas pertencentes a 16 etnias que habitam as regiões do rio Mapuera, Cachorro e Trombetas, no município de Oriximiná.

Os  indígenas  irão  aprender  a   recuperar   áreas   degradadas   por  meio  da implantação de sistema agroflorestal, construção de viveiros de mudas, e serão responsáveis pela difusão de boas práticas de manejo agroflorestal em suas aldeias. A atividade está prevista para iniciar no próximo mês de maio.

Também estão em fase de finalização três livros: “Artesanato Waiwai. Série Produtos da Sociobiodiversidade – Volume II”, que tem previsão de lançamento para junho e apresenta um diagnóstico da produção do artesanato indígena Waiwai; “Etnozoneamento da Terra Indígena Alto Rio Guamá”, que será lançado no mês de agosto  e  apoia  a  gestão  ambiental  e territorial da Terra Indígena Alto Rio Guamá; e o livro bilíngue “Narrativas Témbe sobre a Biodiversidade”, que será entregue às escolas da Terra Indígena Alto Rio Guamá para ser usado como ferramenta paradidática.

Outras atividades previstas para 2016 são: a realização dos seminários “Ecoturismo junto a povos Indígenas: criação de Protocolo comunitário na Calha Norte” e  “Marco   Legal  da  Biodiversidade:  Desafios   e  Perspectivas  de  Proteção  do  Conhecimento  Tradicional”  e  o  lançamento  da  cartilha  “Marco  Legal  da  Biodiversidade”  e  do  vídeo – cartilha  sobre  o  ICMS – Verde,  que  visa  informar  aos  povos  indígenas  e  comunidades  tradicionais  do  Pará  sobre  esta importante política pública.

A Diretoria  de  Gestão  da  Biodiversidade  é  responsável pelo planejamento, coordenação, supervisão, promoção e execução de planos, programas e projetos relativos à preservação, proteção e conservação da biodiversidade, apoiando  a  realização  de  pesquisas nestas áreas, a promoção do zoneamento da fauna e flora silvestres, a seleção e definição de espécies da fauna e flora a serem protegidas, além da promoção de atividades de recomposição florestal, inclusive de Áreas de Preservação Permanente (APP) e Áreas de Reserva Legal (ARL) em Unidades de Conservação.


Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.