Ideflor-bio participa de programação de Meio Ambiente da Semma

Nesta quarta-feira, 08, a equipe da Região Administrativa de Belém, do Instituto de desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) participou de uma visita técnica nas áreas verdes da Ilha do Combu, em apoio a programação da Semana do Meio Ambiente, da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), que levou cerca de 40 pessoas para a ação.

A Área de Proteção Ambiental (APA) da Ilha do Combu, gerida pelo Ideflor-bio, abriga a famosa Ilha do Combu, área de 15,972 Km2 que apresenta ecossistema típico de várzea de grande beleza cênica, com paisagem florestal exuberante, formada por um mosaico peculiar de espécies florestais, além de seus cursos d’água, como os rios Bijogó, Guamá e Acará, o furo da Paciência e os igarapés do Combu e do Piriquitaquara. Sua população gira em torno de 1.500 (mil e quinhentos) habitantes, que vivem basicamente da pesca e do extrativismo dos recursos da floresta, sobretudo o açaí, que pode ser encontrado por toda a ilha.

Durante a visita, os participantes puderam conhecer a área de trabalho de Izete dos Santos Costa, mais conhecida como dona Nena, que mostrou como funciona o processo de fermentação das sementes de cacau, secagem ao sol e torragem. Nena e sua família tornaram-se detentores da produção do chocolate de Combu, que dá origem a barras 100% cacau embrulhadas na folha do cacaueiro. “Nosso chocolate é mais saboroso, tem mais pureza, pois é feito sem conservantes e com sementes selecionadas, o que faz toda a diferença em relação chocolates que compramos por aí”, orgulha-se.

O cacau é plantado em uma agrofloresta, em um sistema que permite produzir alimentos sem derrubar a mata, imitando assim a cobertura vegetal da floresta, sendo o aspecto diversificação a essência e seu fundamento. Essa perspectiva favorece a recuperação da  produtividade  de  solos  degradados através de espécies arbóreas implantadas, que adubam naturalmente o solo, reduzindo a utilização de insumos externos, os  custos  de  produção  e  aumentando a eficiência econômica da unidade produtiva. Além disso, a maior diversificação representa mais produtos comercializáveis, favorecendo uma geração de renda mais harmônica no tempo. Esse contexto é muito adequado para a pequena produção familiar.


Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio

 

 

Comentários estão desabilitados.