Viveiro com capacidade para produção de 75 mil mudas é montado em Marabá

Um viveiro, com capacidade para produção 75 mil mudas, foi montado no Campus III da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), localizada no município de Marabá, entre os dias 05 e 09 deste mês. O trabalho foi desenvolvido pelo Instituto de desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), através da Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF) e Escritório Regional (ER) de Carajás.

A atividade é parte do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Instituto e a Universidade, o qual tem como objetivo desenvolver ações conjuntas no campo da tecnologia, pesquisa e extensão, diante da necessidade de produção de mudas de espécies frutíferas, florestais, nativas ou exóticas, para implantação de projetos de pesquisa focados na recuperação de áreas alteradas e/ou degradadas na Região de Integração de Carajás.

A montagem do viveiro, com dimensões de 24 x 48 metros, construído em estrutura metálica, com sistema de irrigação por microaspersão (sistema de irrigação que requer baixa taxa de aplicação de água), contou com a colaboração direta de alunos, professores e técnicos da Unifesspa, estagiários do ER Carajás, além da equipe técnica do Ideflor-bio, que também disponibilizará insumos para um primeiro ciclo de produção de mudas, utilizando-se tubetes e/ou sacolas plásticas.

Para o Diretor de Desenvolvimento da Cadeia Florestal do Ideflor-bio, Benito Calzavara,com a instalação do viveiro, os alunos da universidade terão acesso a uma estrutura didática, onde poderão aprender e praticar a produção de mudas, inclusive em tubetes. “É também uma ferramenta que permitirá que as duas instituições possam desenvolver projetos conjuntos de produção de restauração florestal junto a agricultores familiares na região.”, contou.

A parceria com a Unifesspa na produção de mudas representa uma oportunidade importante para que o Ideflor-bio possa desenvolver ações de fomento agroflorestal junto a agricultores familiares de Marabá e municípios vizinhos. O viveiro fortalecerá também a atuação das instituições no incentivo à recomposição ambiental nesta região do Estado do Pará, que historicamente tem sido degradada pelo uso desordenado dos recursos naturais, além de ser fundamental para associar o ensino, pesquisa e extensão, permitindo aos alunos desenvolver estágio e experimentações sobre sistemas produtivos junto a agricultores familiares da região, tendo como base as mudas produzidas neste viveiro.

Para Cleberson Salomão, responsável pelo escritório regional de Carajás do Ideflor-Bio, em Marabá, a proposta contida no Acordo de Cooperação técnica entre as instituições prevê que as mudas produzidas sejam direcionadas a atender tal demanda. “Esta é uma forma de se contribuir com a formação de novos profissionais ligados à agricultura na região, tais como agrônomos, engenheiros florestais, dentre outros.”, explicou.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio


GALERIA DE FOTOS:
 20161208_114027 20161208_114020 20161207_104757 20161208_114045 
img-20161209-wa0028 img-20161209-wa0034 img-20161209-wa0029

 

Comentários estão desabilitados.