“Projeto AgroVárzea” define cronograma de atividades para 2017

Produtores da Área de Proteção Ambiental (APA) da Ilha do Combu, APA Belém e do Refúgio de Vida Silvestre (Revis) Metrópole da Amazônia, do “Projeto AgroVárzea”, do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), participaram de uma reunião, no dia 19 de abril, no Auditório do Batalhão da Polícia Ambiental (BPA), visando a construção do calendário de ações para o ano de 2017.

As fases do projeto, criado pela Gerência da Região Administrativa de Belém (GRB/Ideflor-bio), foram embasadas de acordo com a metodologia de Gestão Participativa para o Desenvolvimento Local (GESPAR), criada  e  sistematizada  pelo Projeto Banco do Nordeste/PNUD, para promover o desenvolvimento econômico e social das comunidades, que aplicada às Unidades de Conservação (UC), também visa promover o desenvolvimento sustentável.

Na ocasião, foi realizada uma oficina de planejamento das atividades, que serão seguidas pelos participantes do projeto, definindo os objetivos comuns, assim como a metodologia de trabalho, levantamento de demandas e avaliação dos trabalhos já realizados neste ano. Também foi definido, como produto, um calendário de capacitação, com temas apontados pelos participantes, que devem contemplar ações com ênfase nos Sistemas Agroflorestais (SAFs), no turismo rural e na venda direta, que serão priorizadas, e deverão ser realizadas dentro de um ano. Posteriormente será definido um segundo produto, que será uma agenda de reuniões gerais e setoriais, com suas frequências e formatos.

As reuniões gerais ocorrem no mínimo 2 vezes ao ano, uma para construção de calendário e outra para avaliação das ações. Porém, mensalmente os produtores realizam reuniões internas, em suas localidades, levantando as demandas, que posteriormente são repassadas a Ideflor-bio, para resoluções, em reuniões gerais.

✎Texto: Denise Silva / Ascom Ideflor-bio


GALERIA DE FOTOS:

Comentários estão desabilitados.