Ideflor-bio apresenta o Prosaf a prefeituras do sudeste paraense

O Escritório Regional do Carajás, vinculado ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio) reuniu-se, na sexta-feira, 20, com representantes das Secretarias Municipais de Meio Ambiente e de Agricultura de diversos municípios do sudeste paraense. O objetivo da reunião foi apresentar aos dirigentes o Projeto de Restauração Florestal por meio de Sistemas Agroflorestais (Prosaf) e também discutir o termo de adesão dos municípios ao projeto.

Representantes de Tailândia, Nova Ipixuna, Eldorado dos Carajás, Curionópolis, Parauapebas, Marabá, Xinguara, São João do Araguaia, Itupiranga, Bom Jesus do Tocantins e Palestina do Pará estiveram presentes na reunião. Todos esses municípios são concessionários de viveiros de mudas implantados pelo Ideflor-bio.

“O que buscamos com a reunião foi firmar a adesão dos municípios ao Prosaf e também incentivá-los a mobilizar grupos de agricultores para que possamos implementar o projeto”, conta Cleberson Salomão, gerente do Escritório Regional do Carajás.

O termo de adesão do Prosaf prevê a ação conjunta entre o Ideflor-bio e as prefeituras dos municípios para estender o trabalho realizado nos viveiros de mudas às comunidades de cada uma dessas localidades. Além disso, o termo prevê também a realização de capacitações junto aos agricultores rurais, técnicos e extensionistas dos municípios atendidos pelo Prosaf.

 

“Com isso será possível implantar sistemas agroflorestais comerciais nos municípios e apoiá-los em ações de fomento à restauração florestal e adequação ambiental. Essa é a intenção do Prosaf”, acrescenta Cleberson Salomão.

Além dos representantes do Ideflor-bio e dos municípios, também participaram da reunião representantes da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA); da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa); e da cooperativa Correntão.

Prosaf – O projeto busca recuperar zonas florestais degradas no Pará, ao mesmo tempo em que expande e diversifica a cadeia produtiva de agricultores em diversos municípios do estado. Uma das principais ações é a construção de viveiros de mudas nos municípios, os quais fornecem subsídios para a implementação de sistemas agroflorestais, espécies de pequenas florestas que, gradativamente, vão recuperando as características florestais das pequenas propriedades rurais.

As mudas produzidas nos viveiros e plantadas nos safs geralmente são de culturas abundantes na região em que o projeto está sendo implantado e, também, de interesse dos agricultores locais. Esses agricultores são capacitados com diversos cursos, quae os ensinam a trabalhar em toda a cadeia de produção, desde a plantação das mudas nos viveiros, até a implantação e manutenção dos safs em seus territórios.

 

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.