Ideflor-bio visita municípios do sudeste paraense

O Escritório Regional do Carajás, vinculado ao Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), realiza, até esta quarta-feira, 18, uma série de ações nos municípios de Ulianópolis e Paragominas, sudeste paraense. As ações buscam apresentar a agricultores o Projeto de Restauração Florestal Através de Sistemas Agroflorestais (Prosaf) e também vistoriar viveiros implantados pelo Ideflor-bio.

Em Ulianópolis, a ação aconteceu na comunidade Boa Esperança, a qual já recebeu um viveiro de mudas. Segundo Cleberson Salomão, gerente do Escritório Regional do Carajás, a ida à comunidade, no dia 16 de abril, visou formar um grupo de agricultores rurais para a realização de atividades do Prosaf.

“A Inclusão da comunidade Boa Esperança significa a expansão do Prosaf no município, atendendo ainda a indicação da Prefeitura Municipal de Ulianópolis e da Emater. Nesta agenda fizemos a apresentação do Prosaf, com mais detalhes, a fim de que fechemos um grupo de agricultores para realizarmos capacitações e implantação de sistemas agroflorestais na comunidade”, explica o gerente.

Além dessas atividades, outras ações realizadas pelo Prosaf em municípios atendidos são a produção de mudas de essências florestais de grande ocorrência na região e o preparo de áreas dos agricultores rurais para o plantio de diversas espécies florestais.

Já em Paragominas, a visita técnica acontece em áreas de plantio recém realizado e objetiva vistoriar as plantações. O Ideflor-bio, em parceria com a Prefeitura Municipal de Paragominas, implantou dois viveiros nas comunidades Nazaré e São Sebastião.

“Cada viveiro tem capacidade para 14 mil mudas. Já foram plantadas por lá espécies como o Paricá, o Açaí, o Cupuaçu, o Maranhoto, o Mogno Africano e também algumas culturas anuais, como o milho e a mandioca, principalmente”, complementa Cleberson Salomão.

O Prosaf beneficia 10 agricultores de Paragominas, cinco em cada uma das comunidades atendidas. Esses agricultores já produziram aproximadamente 12 mil mudas nos viveiros instalados. Outras atividades, como adubação, limpeza e poda das áreas plantadas ainda serão realizadas no município, com o acompanhamento de equipes do Escritório Regional de Carajás do Ideflor-bio.

Capacitação – Agricultores e funcionários da prefeitura do município de Goianésia do Pará também receberam, entre os dias 10 e 12 de abril, a visita da equipe do Escritório Regional do Carajás. Seis funcionários da prefeitura e 16 integrantes das comunidades de Acapú e Vila São Benedito participaram de um curso de Enxertia oferecido pelo Ideflor-bio, em parceria com a Perefeitura de Goianésia e a Empresa de Assistência Agrária e Extensão Rural do Pará (Emater).

A enxertia é um método de propagação vegetativa de plantas, que leva em conta a capacidade de duas ou mais plantas combinarem-se e crescerem simultaneamente em um único pé. Existem diferentes métodos, os quais foram ensinados durante a capacitação, de forma teórica e prática. A capacitação aconteceu por um dia em cada uma das comunidades atendidas, mais a prefeitura. O curso priorizou a enxertia de espécies cultivadas na comunidade, como cupuaçú, manga, caju e citrus.

“A capacitação sobre enxertia atende a demanda dos próprios agricultores, os quais almejam melhorar seus cultivos, adotando técnicas que permitam o melhoramento genético das espécies trabalhadas e que isto possa ser feito preferencialmente por eles mesmos”, explica Cleberson Salomão.

Em Goianésia, o Prosaf atende, além de Acapú e Vila São Benedito, outras cinco comunidades: a Rainha da Paz, as vilas Pitinga, Bacaba, Janarí e o Projeto de Assentamento Ararandeua. São cerca de 50 famílias que já receberam viveiros de mudas e apoio do Ideflor-bio para o preparo de áreas de plantação e outras capacitações, como as de produção de mudas e implantação de sistemas agroflorestais.

Para Alberto Fernandes, diretor de agricultura da Prefeitura de Goianésia do Pará, as capacitações são essenciais para o desenvolvimento local. “O curso de enxertia foi muito proveitoso tanto para os agricultores que participaram, quanto para os funcionários da prefeitura que trabalham no viveiro municipal. Isto permitirá o aperfeiçoamento no trabalho de produção de mudas”, afirma.

Nos próximos meses, o Escritório Regional de Carajás deve realizar a capacitação nas outras cinco comunidades atendidas em Goianésia.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.