Famtur apresenta riquezas turísticas da comunidade de Santo Amaro a empresas do setor

Representantes da Associação Brasileira de Turismo de Aventura (Abeta) e das empresas de esportes de aventura Amazônia Aventura e Nós na Trilha fizeram um famtur pelo Refúgio de Vida Silvestre Metrópole da Amazônia (Refúgio Metrópole) na manhã da quinta-feira, 8. O passeio, conduzido pelos técnicos do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-bio), visou apresentar às entidades algumas das riquezas turísticas da comunidade do Santo Amaro, que fica localizada no município de Benevides, dentro do território do Refúgio.

Nos últimos meses, o Ideflor-bio contribui com a implantação de um roteiro turístico nas terras de Eliane e Rosinaldo Rreis, que já moram no Santo Amaro há mais de 30 anos. O roteiro conta com trilha ecológica, em que é possível encontrar diversas espécies de animais e de plantas, como a paxiúba e uma exuberante samaumeira.

Além disso, é possível tomar banho de rio e ainda degustar um típico almoço paraense preparado na cosinha da Eliane. No cardápio, o açaí retirado da plantação do casal e batido na hora, peixe frito, feijão, galinha caipira e ainda bolo de chocolate e brigadeiros feitos com o cacau também plantado no local.

Na propriedade, além do açaí e do cacau, o casal cultiva diversas espécies frutíferas, como cupuaçu e banana. Já a trilha ecológica tem aproximadamente 1km e é considerada de nível intermediário, com alguns obstáculos para os que gostam de uma pitada a mais de aventura.

Segundo Letícia Freitas, turismóloga do Ideflor-bio, “o famtur serviu para apresentar às empresas que trabalham com turismo de natureza mais essa possibilidade de roteiro turístico na Grande Belém”.

A comunidade de Santo Amaro fica a cerca de 20 minutos da Alça Viária e para chegar lá, uma parte do percurso precisa ser feita de barco. A proposta é que as empresas de turismo e esporte de aventura e natureza, em parceria com os comunitários, realizem os roteiros turísticos para grupos que desejam ter uma maior vivência com a natureza.

Assistência técnica – A ação foi realizada no contexto do projeto AgroVárzea, mantido pelo Ideflor-bio nas quatro unidades de conservação da Grande Belém: além do Refúgio Metrópole, o Parque Estadual do Utinga e as Áreas de Proteção Ambiental Belém e Ilha do Combu. O projeto dá assistência técnica, capacitações e suporte aos comunitários dessas áreas, a fim de fornecer conhecimentos e novas oportunidades de desenvolvimento social e econômico.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.