“Caravana no Parque Estadual Charapucu”: cuidar das pessoas também é cuidar da natureza

Na noite do dia dois de dezembro, um barco com aproximadamente 20 pessoas partiu de Afuá rumo à região da Ilha Grande Charapucu, onde está localizado o Parque Estadual Charapucu. Era a “Caravana Charapucu”, a qual reuniu diversos profissionais da área da saúde para promover atendimentos em atenção básica na região da Unidade de Conservação, priorizando crianças, mulheres grávidas e terceira idade.

A Caravana resultou de uma ação integrada entre o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade – que gerencia o Parque –, a organização não-governamental (ONG) Missão de Assistência ao Cuidador (MAC) e a Secretaria Municipal de Saúde de Afuá. O objetivo era promover práticas de atenção à saúde das comunidades de populações tradicionais que residem na região da Ilha Grande há décadas.

“Infelizmente, é uma região com pouca presença efetiva do poder público, em todas as suas esferas, o que reflete na relativa falta de acesso dessas populações aos serviços básicos de assistência do Estado e a Caravana uniu os esforços das esferas estadual, municipal e da sociedade civil para oferecer assistência de saúde aos comunitários”, conta Amanda Quaresma, gerente do Parque Estadual Charapucu e servidora do Ideflo-bio.

Durante quatro dias, a Caravana percorreu diversos espaços comunitários, como centros, escolas e igrejas realizando serviços de atendimento básico em saúde, educação ambiental, nutricional, entre outros. Foram contabilizados mais de 1000 atendimentos diretos.

“O interessante é que os espaços foram disponibilizados pelas próprias comunidades, para receber pessoas dos rios, igarapés e furos vizinhos que buscavam os serviços. A equipe contou com profissionais de enfermagem, nutrição, vigilância ambiental e sanitária, policiais ambientais, voluntários da MAC, técnicos extensionistas e técnicas do Ideflor-bio, todos promovendo atividades e difusão de conhecimento e informação em suas respectivas áreas de atuação”, acrescenta Amanda.

Dentre as ações estiveram a distribuição de algumas vacinas e medicamentos, além de alguns exames básicos, orientação e distribuição de filtros individuais para potabilidade de água – construídos a partir do reaproveitamento de alguns materiais e adequação de outros. A equipe técnica também informou as comunidades sobre boas práticas para uso sustentável dos recursos naturais, assim como as crianças tinham oportunidade de participar de atividades de educação ambiental como jogos e brincadeiras lúdicas com a temática ambiental.

Outra ação foi a implantação de três hortas suspensas nas escolas das comunidades da Ilha Grande Charapucu. As hortas foram montadas com sementes, mudas de espécies de hortaliças e terra adubada.

Água Potável – Junto aos atendimentos em saúde, a Caravana Charapucu também implantou um sistema coletivo de abastecimento de água potável na comunidade Nossa Senhora de Fátima, localizada no rio Charapucu. Ideflor-bio e MAC doaram um filtro de tecnologia internacional com capacidade de potabilidade imediata da água, duas caixas d’água e conexões. A contrapartida da comunidade foi a construção de uma torre em que o filtro e as caixas estão instalados. A torre está localizada às cercanias da Escola de Ensino Fundamental da região e tem potencial para atender mais de 200 famílias.

Segundo Amanda Quaresma, já estão previstas as instalações de mais torres na região do Charapucu. “Aproximadamente seis comunidades também irão receber o sistema, considerando-se expandir para outras mais. Esses sistemas de abastecimento são tecnologias sociais de baixo custo capazes de reduzir significativamente os casos de enfermidade na região pelo consumo de água não potável”, afirma.

Texto: Dilermando Gadelha – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.