Projeto Bodyboard Pará Ambiental leva esporte e educação ambiental para Salinópolis

Para encerrar o verão paraense com boas práticas ambientais, as praias do município de Salinópolis, no nordeste paraense, recebem até amanhã (28) as ações do Projeto Bodyboard Pará Ambiental, realizado por meio de uma parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio) e o Instituto Manguezal, tendo o patrocínio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). A iniciativa tem como objetivo aliar à prática do esporte com a sensibilização dos veranistas e comerciantes em prol da questão ambiental.

As ações do Projeto estão ocorrendo em frente ao Restaurante Esplendor, na Praia do Atalaia, no período de 7h30 às 13h, próximo ao limite do Monumento Natural (Mona) do Atalaia, uma Unidade de Conservação de Proteção Integral gerida pelo Ideflor-Bio. Estão sendo promovidas atividades de educação ambiental, envolvendo o público infantil a partir de 7 anos. Resíduos recicláveis, como garrafas plásticas e latinhas encontradas pelos pequenos na praia, serão trocados por brindes e aulas de Bodyboard ministradas por instrutores especializados.

“Essa ação vem com dois objetivos principais. O primeiro é para que as pessoas saibam que nessa região existe uma Unidade de Conservação de Proteção Integral – que é o Monumento Natural do Atalaia. E a outra é para que as pessoas entendam a importância da destinação correta do seu lixo”, pondera a técnica em Gestão Ambiental do Ideflor-Bio, Márcia Segtowich. “O lixo deixado na praia traz consequências tanto para a vida marinha quanto para nós, que depois iremos ingerir os mariscos como peixes que podem estar com seu estômago cheio de microplástico, proveniente do que é deixado na praia. Isso pode, inclusive, prejudicar nossa saúde”, reforça a técnica.

AÇÃO – O trabalho de educação ambiental consiste em recolher os resíduos espalhados na praia e em fazer a promoção de blitz ambientais por toda extensão do Atalaia, para informar à população sobre os males oriundos da destinação inadequada dos resíduos produzidos naquele ambiente. Todo material reciclável será doado para catadores de cooperativas de coleta seletiva de Salinópolis. Em contrapartida, o Projeto oferta às crianças aulas lúdicas de educação ambiental, com auxílio de desenhos e revistas, a troca dos resíduos por ecobags para que recolham o seu próprio lixo, além de participarem das aulas de Bodyboard.

Podem participar crianças a partir de 7 anos que saibam nadar. Mas para ter a sua inscrição efetuada, antes o participante terá de participar de um mutirão de limpeza, fazendo o recolhimento de, ao menos, 20 unidades de resíduos recicláveis, como garrafas pet, latinhas e canudinhos. Os participantes passarão por um caminho de aulas rápidas sobre biodiversidade e o problema dos plásticos nos oceanos. Logo em seguida serão encaminhados para a oficina de Bodyboard, que terá duração de 40 minutos.

BODYBOARD – Traduzindo do inglês, bodyboard significa “corpo na prancha”. É uma modalidade de esporte aquático onde se apoia o dorso corporal numa prancha flutuante que desliza sobre as ondas, utilizando nadadeiras para propulsão. Um esporte de fácil aprendizado para todas as faixas etárias, de crianças a idosos.

MONA ATALAIA – O Monumento Natural do Atalaia (MONA Atalaia) é uma Unidade de Conservação que pertence à categoria de Proteção Integral, gerida pelo Ideflor-Bio, a qual não permite a habitação e o uso direto dos recursos naturais. Instituída a partir do Decreto Nº 2.077 de 23 de Maio de 2018, o Mona Atalaia apresenta uma área de 256,58 hectares, localizado no município de Salinópolis, distante 206 quilômetros da capital paraense. Compreende a Ilha do Atalaia, mais especificamente o lago conhecido popularmente por Lago da Coca-Cola e suas cercanias. Nessa área e em seu entorno foram registrados cinco tipos de ambientes: dunas, restingas, manguezais, lagos e praias.

O Município de Salinópolis representa um dos mais importantes polos turísticos da região nordeste do estado do Pará, sobretudo por ter em seu território formado por praias constantemente visitadas por turistas e veranistas, principalmente no o período da alta temporada: os meses de julho e dezembro. Um dos objetivos da criação da Unidade de Conservação é garantir a proteção das belezas cênicas, das dunas, das restingas, dos manguezais e dos lagos, assim como a preservação das espécies da flora e da fauna residente e migratórias, que utilizam a área para alimentação, refúgio e berçário natural durante a época de reprodução.

Texto: Pryscila Soares – Assessoria de Comunicação do Ideflor-Bio.

Comentários estão desabilitados.