Parque Estadual do Utinga é case de sucesso em ecoturismo

O Parque Estadual do Utinga, uma das 26 Unidades de Conservação estaduais administradas pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio), foi apresentado como um case de sucesso em ecoturismo na Amazônia durante a 15ª edição do Congresso Brasileiro de Ecoturismo e Turismo de Aventura – Abeta Summit. Realizado de 14 a 18 deste mês em Ilhabela, litoral norte do estado de São Paulo, é o principal evento de ecoturismo do País, que já faz parte do calendário anual de atividades do Instituto. 

O diretor de Gestão e Monitoramento de Unidades de Conservação (DGMUC), Júlio Meyer, foi um dos palestrantes oficiais do evento e ressalta que a oportunidade coloca o Parque do Utinga como uma referência em ecoturismo no Brasil. “A palestra foi recebida com muito entusiasmo por todos os participantes que promovem o ecoturismo no Brasil inteiro. Inclusive empresas internacionais estiveram presentes”, comemora. 


Diretor Júlio Meyer ministrando no evento.

EMPREGO E RENDA – Meyer explica que o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo Instituto mostra que o Pará possui um grande potencial nos segmentos do Turismo de Base Comunitária – TBC, o turismo de aventura e o ecoturismo. O principal objetivo é promover a geração de emprego, renda e a valorização das comunidades que vivem dentro e no entorno das UCs. “Foi uma oportunidade incrível de compartilhar os resultados do Parque e também de poder aprender e melhorar cada vez mais os serviços ofertados no Utinga e nas demais unidades de conservação que estão avançando na agenda de ecoturismo”, assinala o diretor.

CAPACITAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL – Além de valorizar as comunidades, o  Turismo de Base Comunitária serve como um importante instrumento de educação ambiental nas áreas protegidas. Para isso, a Presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson, ressalta que o Instituto investe da capacitação de seus técnicos para melhorar cada vez mais a experiência em ecoturismo nas UCs do Estado.

“A exemplo da Floresta Estadual de Faro, que proporciona mudança de comportamento voltado para a conservação e a preservação, gerando alternativa de renda para essas comunidades, mantendo a floresta em pé”, reforça a presidente. 

Coordenadora do evento, Teriana Selbach, presidente da Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura, visitou o Pará no ano passado e comprovou o potencial do trabalho realizado pelo Ideflor-Bio no Estado, especialmente no Parque Estadual do Utinga. “O Pará tem um grande potencial no segmento de turismo de aventura e natureza. Ficamos muito impressionados com a estrutura do Parque no ano passado e logo propomos que esse modelo do Parque fosse apresentado no congresso brasileiro”, declara.

Diretoria do evento com a presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson e técnicos do órgão.

A diretora de produtos turísticos da Secretaria de Turismo do Estado de Minas Gerais, Renata Toffoli, classificou como “inspirador” o case do Parque do Utinga, que possibilitou um intercâmbio de experiências entre os participantes do evento. “Estamos trabalhando com o fomento ao turismo nas UCs e termos a oportunidade de conhecer o trabalho da equipe do Ideflor-Bio nos enche de ideias e diretrizes para melhorar o ecoturismo no nosso estado”, elogia.

Texto: Pryscila Soares – Assessoria de Comunicação do Ideflor-Bio.

Fotos: Divulgação

Comentários(2)

  1. Vilma Alves diz

    Boa tarde, sou mãe de um rapaz de 20 anos, e moro proximo ao parque do utinga, e vejo muintas moças e rapazes indo trabalhar no parque, como moradora a 54 anos no bairro, gostaria de uma entrevista com meu filho, ja que pertecemos a comunidade do curio utinga, desde já agradeço o meu pedido. Vilma 98183-2482,

    • Pryscila Soares
      Pryscila Soares diz

      Bom dia, Vilma. Você se refere a qual atividade dentro do Parque?

Comentários estão desabilitados para este artigo.