Ideflor-Bio participa do 5º Encontro de Pescadores Esportivos do Lago de Tucuruí

Com o tema “Não Mate o Tucunaré: em prol do pesque e solte e da preservação do Lago de Tucuruí”, o município de Goianésia do Pará, no sudeste paraense, sediou o 5º Encontro de Pescadores Esportivos do Lago, no período de 31 de agosto ao dia 1º deste mês. O evento reuniu cerca de 150 pessoas em uma ilha da região, sendo 22 pescadores esportivos. Promovido anualmente por um grupo de pescadores esportivo, o Encontro contou com o apoio do Instituto de Desenvolvimento Florestal da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-Bio).

Além de promover o turismo de pesca e a preservação das espécies, a pesca esportiva é um dos segmentos que podem ser trabalhados na região como um instrumento gerador de emprego e renda, através da capacitação de guias, de condutores de pesca, da hospedagem, entre outros, conforme explicou a gerente da Região Administrativa do Mosaico Lago de Tucuruí, Mariana Bogéa.

Participantes do Encontro.

Legislação – Palestrante do Encontro, a gerente abordou a legislação ambiental, especificamente para o segmento de pesca esportiva. “Orientamos os pescadores quanto à importância de estarem devidamente habilitados, portando suas carteiras de pescadores amadores. Tendo em vista que a fiscalização ambiental determina o tamanho mínimo das espécies a serem capturadas, principalmente estimulando a prática do pesque e solte”, disse a gerente. Na ocasião, Mariana Bogéa apresentou ainda os resultados das ações de fiscalização ambiental, realizadas de forma contínua nos limites das Unidades de Conservação que formam o Mosaico Lago de Tucuruí.

Tucunaré – Presidente do Ideflor-Bio, Karla Bengtson ressaltou que a categoria de pesca esportiva apoia as ações de fiscalização do Instituto, uma vez que o tucunaré, carro-chefe da atividade, vinha sendo alvo da pesca predatória com o uso de arpão. “A partir das ações já é possível ver a presença de novos cardumes. O tucunaré tem aumentado tanto em quantidade quanto em tamanho. É reflexo desse trabalho”, esclareceu Karla Bengtson. “O turismo de pesca é um excelente produto que temos na região e que precisa ser desenvolvido. Garantir a manutenção do tucunaré, automaticamente se fomenta o turismo de pesca”, pondera a presidente.

Atividade de pesca e solte. Na foto a espécie tucunaré.

Reconhecimento – Um dos coordenadores do Encontro, Alírio Fábio Pereira destacou a importância do trabalho desenvolvido pelo Ideflor-Bio na região e da participação no evento. “Engrandeceu muito o encontro, que tem como objetivo proporcionar a prática do lazer da pesca esportiva, mas sempre atrelando à temática da conservação e preservação dos recursos pesqueiros da região”, disse Alírio.

Texto: Pryscila Soares – Assessoria de Comunicação do Ideflor-Bio.

Fotos: Divulgação/Ideflor-Bio

Comentários estão desabilitados.