Ideflor-bio doa 43 mil mudas para famílias no sudoeste do Pará

Mais de 100 famílias dos municípios de Altamira e Vitória do Xingu, no sudoeste paraense, foram beneficiadas com a doação de 43 mil mudas de espécies frutíferas e florestais do bioma amazônico. A ação foi realizada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), por meio do Escritório Regional do Xingu. O plantio das mudas será destinado à recomposição florestal produtiva de áreas alteradas em propriedades rurais naquela região.

Em Altamira foram doadas três mil mudas para famílias no Ramal da Floresta. E em Vitória do Xingu, os agricultores receberam 40 mil mudas no Ramal dos Cocos. Dentre as espécies estão o açaí (Euterpe oleracea), cacau (Theobroma cacao L.), cumaru (Dipteryx odorata) e ipê (Handroanthus impetiginosus).

Engenheiro florestal e gerente do escritório regional do Ideflor-bio, Israel de Oliveira ressalta que esse trabalho é feito em parceria com as comunidades, passando pela instalação dos viveiros, capacitação em produção de mudas e a implantação dos Sistemas Agroflorestais Comerciais (SAFs), visando recompor áreas alteradas, garantir segurança alimentar e nutricional, além de gerar emprego e renda.

“As mudas de Altamira foram produzidas em um viveiro institucional que temos no município. Em Vitória do Xingu foram produzidas no próprio viveiro que temos em parceria com a associação Amorac, onde realizamos a entrega oficial do viveiro e das 40 mil mudas aos nossos produtores”, comentou o gerente.

Prosaf – O trabalho faz parte do Projeto Prosaf, criado e executado pelo Ideflor-bio com o intuito de promover a recomposição florestal produtiva em áreas alteradas no Pará, proporcionando o desenvolvimento sustentável em todo o estado, conforme destacou a presidente do Ideflor-bio, Karla Bengtson.

“O ideflor-bio realiza o projeto Prosaf e temos a visão de que não só precisamos atender a essas famílias, formando quintais agroflorestais, mas também temos o nosso trabalho com a implantação de viveiros. No último ano 980 famílias foram atendidas pelo projeto e temos uma prospecção para este ano de atender 1.200 famílias”, ponderou Karla Bengtson.

A ação ocorreu na semana passada e contou com a parceria da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap), da Comissão Executiva de Planejamento da Lavoura Cacaueira (Ceplac), Embrapa Amazônia Oriental, Câmara de Vereadores de Altamira, Projeto Arte de Viver Bem, além da Associação dos Moradores do Ramal dos Cocos (Amorac).

Texto: Pryscila Soares – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio.


Comentários estão desabilitados.