Ideflor-bio inicia processo para elaborar plano estratégico

Gestores e servidores do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) participaram na manhã de ontem (04) do seminário de apresentação da metodologia que norteará a elaboração do planejamento estratégico do órgão, que terá vigência no período de 2020-2025. A ideia é de que o plano seja construído e apresentado ao longo deste primeiro semestre do ano, tendo o envolvimento de todos os servidores de forma colaborativa.

Executada por etapas, a capacitação está sendo promovida pela especialista em Gestão Pública e Ambiental, Lilian Bendahan, e pela servidora pública Sônia Campelo, que possui experiência em gestão de planejamento. Os trabalhos iniciaram com a palestra de nivelamento conceitual. “Foi dado o pontapé inicial do processo para que todos saibam o que será feito e proposto, já que nas próximas etapas serão apresentadas a construção da visão, missão e valores do Instituto”, ressaltou Lilian.

Durante a elaboração do planejamento será aplicado aos servidores questionários para pesquisa de avaliação interna e externa, a partir da análise da Matriz SWOT. E também serão ofertadas oficinas para a Definição do Referencial Estratégico (Missão, Visão e Valores), Análise da Matriz SWOT, Definição do Mapa Estratégico, além das metas, indicadores, fórmula de cálculo e índices de referência. “O plano estratégico é como se fosse um farol indicando o caminho certo com métodos sistêmicos, modelos, manuais de procedimentos para se atingir o resultado de maneira padronizada e sistêmica. Isso possibilita o monitoramento e a avaliação deste plano e das ações a serem executadas e entregues à sociedade, o que é imprescindível”, ponderou Lilian Bendahan.

Prazo – O plano estratégico será executado pelo período de seis anos, sendo um instrumento de longo prazo para atender as demandas do Instituto, que englobam ações permanentes como: gestão das florestas públicas tendo em vista a produção sustentável e a preservação da biodiversidade; gestão da política estadual para produção e desenvolvimento da cadeia florestal; e a execução das políticas de preservação, conservação e uso sustentável da biodiversidade, da fauna e da flora terrestres e aquáticas no Estado.

“Nós, como Ideflor-bio, sabemos mais do que ninguém como é trabalhar com cenários. O mais importante é que a jornada seja desafiadora e termos conhecimento de que cada um aqui, dentro de cada segmento, tem uma parcela de contribuição”, pontuou a presidente do Instituto, Karla Bengtson, ao falar sobre a importância da representatividade de todas as diretorias durante o processo de planejamento.

Sobre o Ideflor-bio – O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio) foi criado por meio da Lei Estadual n° 6.963, de 16 de abril de 2007 e modificado pela Lei Estadual nº 8.096, de 1º de janeiro de 2015, em atendimento à exigência da Lei Federal n° 11.284, de 02 de março de 2006, que versa sobre a Gestão de Florestas Públicas. O objetivo dessa legislação é proteger as florestas pertencentes à União, aos estados e aos municípios, bem como regulamentar o acesso a tais áreas, gerando benefícios sociais, ambientais e econômicos. Com sede em Belém, mas circunscrição em todo o Estado do Pará, o Ideflor-bio é uma entidade de direito público, constituída sob a forma de autarquia, com autonomia técnica, administrativa e financeira.

Texto: Pryscila Soares – Assessoria de Comunicação do Ideflor-bio

Fotos: Kleber José / Ascom Ideflor-bio

Comentários estão desabilitados.