Fiscalização conjunta interdita garimpo ilegal e apreende equipamentos e animais

Equipes da Semas, IDEFLOR-Bio e Polícia Militar atuaram nos municípios de São Geraldo do Araguaia e Palestina do Pará

A interdição de garimpo clandestino fez parte das ações de fiscalização ambiental interinstitucional, destinadas a garantir a preservação dos recursos naturais dentro do Parque Estadual Serra dos Martírios/Andorinhas, localizado no município de São Geraldo do Araguaia, e fora da Unidade de Conservação (UC) de Proteção Integral, no município de Palestina do Pará, ambos no Sudeste do Estado. A operação, encerrada nesta segunda-feira (12), foi coordenada pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas).

As atividades de proteção ambiental começaram no dia 1º de julho, com a participação de fiscais da Semas e integrantes da Polícia Militar e do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio), órgão responsável pela gestão estadual das Unidades de Conservação no Pará.

Os agentes de fiscalização interditaram um garimpo explorado ilegalmente, onde foram apreendidos instrumentos utilizados na atividade ilícita. Também foram apreendidos mangotes, motobomba e marretas, e cinco quelônios, já devolvidos à natureza.

Entre os procedimentos administrativos, foram lavrados Auto de Infração, Termo de Interdição, Termo de Apreensão, Termo de Depósito, Termo de Soltura e duas Notificações. A operação não identificou nenhum infrator.

De acordo com o coordenador de Fiscalização da Semas, Marco Aurélio Xavier, o trabalho conjunto com o Ideflor-Bio e a Polícia Militar visa combater crimes ambientais. “A ação visa ao combate de desmatamento, pesca predatória, caça de animais silvestres e garimpos ilegais dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) Parque das Andorinhas”, informou o coordenador.

Fiscalização – A gerente da Região Administrativa do Araguaia do Ideflor-Bio, Laís Santos Costa, disse que nos dias da fiscalização diversos procedimentos foram realizados, como a diligência em garimpo clandestino dentro da APA Araguaia; fiscalização nas estradas que dão acesso ao Parque, para coleta de material dos caçadores, e fiscalização nas áreas desmatadas não licenciadas, fiscalização no Rio Araguaia com avaliação dos pescados e possíveis caça, soltura de cinco tartarugas da Amazônia capturadas com caçador que se evadiu do local, e o trabalho de educação ambiental com os moradores do entorno.

“A fiscalização tem uma grande importância nas nossas UCs (Unidades de Conservação), pois inibe ações criminosas, promovendo a educação ambiental e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente. Os trabalhos de fiscalização são feitos em parceria com o Batalhão de Polícia Ambiental e s Semas”, acrescentou a gerente.

Por: Bruna Brabo – SEMAS
Fotos: Divulgação

Comentários estão desabilitados.