IDEFLOR-Bio promove capacitações sobre manejo e desenvolvimento de SAFS Cacau

O Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (IDEFLOR-Bio), por meio da Gerência Regional do Carajás, esteve no Município de Conceição do Araguaia, no período de 30 de agosto a 03 de setembro, realizando capacitações em implantação e manejo de Sistemas Agroflorestais e produção de defensivos alternativos, como a Calda Sulfocálcica e  Bordalesa, para controle de pragas e doenças nas plantas, com a cultura do Cacau sendo a principal.

Na ocasião foram ministradas três capacitações em solicitação da Secretaria de Agricultura de Conceição do Araguaia e do Projeto SIAFRA, sendo duas nas comunidades rurais de Assentamento do Arraia e PA Bradesco e uma na Secretaria. O público atendido foi de 70 produtores, mas também participaram equipes técnicas das Secretarias de Agricultura de Conceição do Araguaia, Santa Maria das Barreiras e de Juarina (TO). Todos os produtores presentes fazem parte do Projeto SIAFRA- Sistema Agroflorestal da Região Araguaia. 

Segundo Keylah Borges, Gerente do Escritório Regional de Carajás, o IDEFLOR-Bio têm contribuído substancialmente para o desenvolvimento dos SAFs de Cacau no Município, pois fez a implantação de um viveiro de 12mx24m, com capacidade para produzir 19 mil mudas em sacolas e 38 mil em Tubetes, no ano de 2020 e também, vem realizando anualmente as capacitações necessárias para o bom desenvolvimento dos Sistemas Agroflorestais com Cacau, além de serem doados insumos como bags de fibra de coco, kit fertilizantes e sementes de açaí para produção de 2000 mudas açaí BRS Pará.

De acordo com o vice-prefeito de Conceição do Araguaia, Rondiney de Oliveira, “esse trabalho que aconteceu, conduzido pela Gerente do Escritório Regional de Carajás, Keylah Borges, que ministrou sobre o manejo de poda no cacaueiro e produção de defensivos alternativos, foi de extrema relevância para todos”. 

O vice-prefeito também pondera que essa transferência de tecnologia é muito importante, principalmente para o pequeno produtor que precisa desenvolver uma produção com o mínimo de recurso possível. “Estamos aprendendo melhor a trabalhar com o manejo do cacau no modelo SAF e o que temos visto é que todos os produtores estão satisfeitos com essa parceria que se estende desde o ano de 2019”, disse.

A Presidente do IDEFLOR-Bio, Karla Bengtson, afirma que o Instituto entende que o SAFS Cacau é uma alternativa muito próspera para o agricultor familiar recompor áreas degradadas e fazer a recomposição de passivos ambientais que o Estado tanto precisa, além de ser uma tecnologia que preserva e controla o desmatamento, então, por esse motivo, o Governo do Estado incentiva e dá todas as condições possíveis para que os Escritórios Regionais possam se capacitar e fomentar a implantação de Sistemas Agroflorestais do Cacau.

Texto: Patricia Madrini (IDEFLOR-Bio)

Comentários estão desabilitados.